rss
email
twitter
facebook

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Abra a janela


Alguém um dia falou que o sol nasce para todos. Um outro respondeu dizendo que sim, o sol nasce para todos, mas que para alguns ele brilha mais. Para mim o sol deve brilhar para todos sim e também para alguns ele pode brilhar mais, pois um fato não anula o outro. Muitos se queixam da falta de sol, reclamam do frio, usam isto como desculpa para o mal estado de sua vida e queixam-se da sorte. Porém não adianta culpar o sol pelo destino se não se faz nada para mudá-lo e ficar inventando desculpas para a vida estar como estar, pois o sol só aquecerá um pouco mais quando as janelas forem abertas.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Mundo louco

Ando vendo coisas
Coisas que não deveria ter visto
Que não deveriam nem ter existido
Violência, guerra, fome
São coisas que meus olhos
Temeram por algum tempo
Em não querer enxergar

Guerras desastrosas,
Violências absurdas
Fome desnecessária.
Cada uma dessas coisas
Não se parecem em nada
Com o mundo ideal que construí
Nele não cabem tristezas e injustiças

Relutantemente abri meus olhos
E o que vi, não foi só um mundo real,
Mas um mundo prestes a ser destruído.

domingo, 1 de agosto de 2010

O meu Mundo Imaginário

Enquanto eu penso
um outro mundo não muito distante é construído
O meu Mundo Imaginário
Um mundo onde a felicidade se encontra logo ali perto.

A felicidade criada pelo meu mundo subjetivo
Não pode ser comparada com nada

Enquanto eu penso
O mundo inteiro ganha muito mais cor, mais vida, mais luz
O mundo que eu construo não há dor nem ódio
Ao contrário, existe a felicidade inacabável

Esse mundo eu construo,
Construo enquanto penso
Enquanto falo, enquanto eu ajo

Tomara que em algum dia este meu mundo deixe de ser subjetivo
E possa ser habitado por pessoas reais
Mas enquanto isso, continuarei traçando planos e projetos para a sua conclusão
A conclusão do meu Mundo Imaginário

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Algo me sufoca agora

Algo me aflige e me sufoca agora
E me traz uma sensação que nunca senti antes
Um desespero profundo me causa a sensação
de que coisas importantes nunca serão feitas por mim
Como se as coisas que tenho feito agora e com tanto empenho
não fossem trazer nada de proveitoso, nada que se desdobre em frutos para o futuro

Algo me aflige e me sufoca agora
Não sei bem o que é
Mas meu peito bate
Minha garganta aperta
E as lágrimas escorrem

Algo me aflige e me sufoca agora
Mas mesmo com este desespero na alma,
Ainda pretendo continuar
Pois tenho grandes planos para o futuro,
E mesmo que esta aflição me empeça, ainda espero colher grandes frutos

Algo me sufoca agora
Mas talvez amanhã não sufoque mais.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

O que a vida fez de mim

As nuvens estão escuras agora
Pouco movimento onde antes era uma confusão de vozes
Na rádio, uma música que não lembro o nome
Na minha mente, lembranças felizes de um tempo remoto,
Um dia irei esquece-las.
Hoje, pequenas bobagens me consolam
Não há mais nada que eu possa fazer
Pois não sei se a vida fez de mim o que eu sou,
Ou se o que sou fez da minha vida o que ela é!

quarta-feira, 31 de março de 2010

A nova Mona Lisa


A Mona Lisa se enfeitou
Nos seus olhos não repousam mais a dúvida do passado
Há agora um brilho luminoso que contagia
Nos seus lábios um sorriso reluzente se abre

A Mona Lisa se enfeitou
Colares, anéis, enfeites.
Até o cabelo ela mudou
Antes se denominava a La Gioconda
Agora prefere ser chamada de “Mona”

Há quem prefira a antiga
Porém a modernidade fez dela uma mulher nunca antes imaginada.

domingo, 28 de março de 2010

O que eu quero do meu jornalismo?

Quero entreter as pessoas sem deixar de informar,
Quero dar soluções práticas para problemas urgentes,
Quero mostrar ângulos não vistos de questões já discutidas
Quero mostrar criatividade nas minhas matérias,
Quero criticar e dialogar com o leitor,
Quero escolher as reportagens mais úteis,
E quero depois de algum tempo ler minhas primeiras matérias e achar tudo uma merda!

domingo, 14 de março de 2010

Escolher é uma arte




Letras muito rebuscada
não ficam bem para ofícios nem jornais
Também não podem ser muito fechadas
se não ninguém enxerga nada
Para ler no computador nada como um ARIAL
Não irrita os olhos e vira tudo um bacanal
Pro casamento de meu irmão um Edwardian Script ITC
Vai fazer a sensação
E nessa escolha de letras eu me perco todo dia
Mas não tem nada não pois é
uma letra para cada ocasião
 
BlogBlogs.Com.Br